A VIOLÊNCIA TOMOU CONTA DO PAÍS

Dermi Azevedo – Editor e Jornalista Responsável
O Brasil, “gigante pela própria natureza”, como diz o Hino Nacional, agiganta-se também como um dos países mais violentos do mundo. As maiores vitímas são as crianças e os adolescentes, os jovens as mulheres e o cidadão/cidadã, que trasnformou esse assunto na sua maior preocupação cotidiana. A viôlencia contra a criança inclui desde a violência obstétrica até o abandono e os castigos físicos.

CRACOLÂNDIA

Uma mini- cidade ambulante, formada por homens e mulheres absolutamente submetidos à logica das drogas. É esse o perfil resumido da Cracolândia, no centro mais antigo da zona central de São Paulo, perto das estaçoes de metrô e do Palácio de Campos Elisios, onde funcionou até os anos 65, o governo estadual paulista.
O prefeito de São Paulo, João Dória, com o apoio do governador Geraldo Alckmin, mandou destruir a Cracolândia e seus frequentadores ficaram sem rumo e sem nenhuma perspectiva para sair desse inferno. A polícia reprimiu violentamente e as balas de efeito moral cumpriram se papel desmobilizador.

MULHERES

A violência contra a mulher no interior do Estado de SP supera, pelo menos 3 vezes, a da capital. Com o dobro da população em relação à capital, o interior de São Paulo, registra pelo menos três vezes mais casos de violência contra a mulher. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), no ano passado houve, em média, 3,5 tentativas de homicídio por mês contra mulheres na capital, ante 17,9 no interior (três vezes mais). Em relação às lesões corporais dolosas (quando há intenção de matar), a capital registrou 779 casos e o interior, 2.794 (três vezes e meia a mais). Já os casos de estupros consumados ficaram proporcionalmente iguais: média de 10 por mês na capital e de 20 no interior (duas vezes mais). Os homicídios que vitimaram as mulheres mantiveram a mesma proporção: 2,25 por mês na capital e 4,45 no interior (duas vezes mais).
Nos primeiros três meses de 2017, a violência contra a mulher no interior cresceu ainda mais, na comparação com os números da capital. Houve 2 tentativas de homicídio por mês em São Paulo e 16,3 no interior (oito vezes mais). A média mensal de lesões corporais em mulheres foi de 745 na capital e 2.971 no interior.

LUCAS

Periferia de Belém/Pa, Junho de 2017. Lucas, 16 anos, sai de casa para jogar bola com os colegas. Pouco depois chega a notícia: Seu corpo está abandonado com um tiro que o afastou definitivamente de sua vida adolescente, envolvido em pequenos delitos.

SEM TERRA

Pau D’ Arco, Município do Pará. 10 sem terra são assasinados a tiros. Antes, foram submetidos a torturas e a outros tratamentos cruéis e desumanos. Um deles teve os olhos arrancados e jogados na floresta segundo um dos poucos sobreviventes.

E VOCÊ!

Diante desses acontecimentos o que você faria? Você pensa que os culpados são as vitímas? Você acha que a sociedade também e responsável? O que você esta fazendo para ajudar a reduzir essa imensa onda de violência? Existe alguma relação entre a situação de violência crescente e a realidade dos imigrantes no Brasil?
(Do editor)