Anistia Internacional quer barrar projetos no Congresso como a proibição do aborto

Da Radio Agência Nacional

A Anistia Internacional está lançando uma nova campanha em defesa dos direitos humanos no Brasil.

 

De acordo com a organização humanitária há um pacote de mudanças em tramitação no Congresso Nacional que pode reduzir a proteção jurídica de grupos vulneráveis.
A Anistia Internacional citou como exemplo projetos que pretendem impor a proibição total ao aborto, mesmo nos casos permitidos como estupro, a eliminação do ensino da educação sexual nas escolas e a flexibilização do porte de armas.
A diretora executiva da organização, Jurema Werneck, enfatiza que a crise política está sendo usada como cortina de fumaça para que retrocessos ocorram, sem a mobilização da sociedade.
A campanha, chamada “os Direitos não se liquidam” também se posiciona contra alteração na Lei de Maioridade Penal e contra mudanças nas regras de demarcação e titulação de terras indígenas e quilombolas.
A organização quer que os deputados e senadores votem contra essas propostas.

 

Para pressioná-los, a Anistia realiza um protesto em frente ao Congresso Nacional nesta segunda-feira (31) e, também, lançou uma petição na internet.